Governo do Estado do Rio Grande do Sul
Início do conteúdo

Monitoramento de apenados no RS segue em funcionamento após incêndio na SSP

Publicação:

Monitoramento Eletrônico
A operação do monitoramento eletrônico da Susepe foi transferida para uma sede temporária - Foto: Itamar Aguiar / Palácio Piratini
Por Asscom SJSPS e Asscom SSP

Desde o incêndio no prédio da Secretaria da Segurança Pública (SSP), na noite da quarta-feira (14/7), alguns serviços públicos do Estado que funcionavam na SSP tiveram de ser realocados. Um deles é o monitoramento de apenados com tornozeleira eletrônica, gerido pela Superintendência dos Serviços Penitenciários (Susepe), ligada à Secretaria de Justiça e Sistemas Penal e Socioeducativo (SJSPS).

O serviço seguiu em funcionamento desde o ocorrido, mesmo antes da mudança para uma nova sede temporária. O Diretor da Divisão de Monitoramento Eletrônico da Susepe, Gustavo de Souza Lima, enfatiza a atuação constante da equipe. “O monitoramento eletrônico da Susepe não parou em nenhum momento após o incidente no prédio da Secretaria da Segurança Pública. Toda monitoração está plenamente reestruturada em novo local, e a população gaúcha pode ficar tranquila de que todo apenado sob monitoramento está sendo fiscalizado”, informou Lima.

Mais de 1,3 mil ocorrências já foram atendidas pelo 190 da capital

Também operava na SSP, no Departamento de Comando e Controle (DCCI), o atendimento ao 190, número de emergência da Brigada Militar. Após o incêndio, o rápido restabelecimento do sistema de ligações para o 190 garantiu que fossem atendidas mais de 1,3 mil ocorrências até o fim da semana.

Em menos de uma hora após o início do fogo, os servidores do atendimento de emergência já estavam atendendo através de celulares. Em algumas horas, foi possível estabelecer um centro de operação no 9° Batalhão de Polícia Militar (9° BPM), sem afetar os usuários que buscavam o serviço.

No local temporário, além do atendimento do 190, também estão em operação os canais de emergências do Corpo de Bombeiros Militar (193), da Polícia Civil (197), do Disque-Denúncia da SSP (181) e do Instituto-Geral de Perícias (IGP).

Apenas no fim de semana, contabilizando de sexta-feira (16) a domingo (18), o atendimento do 190 na sede do 9º BPM, recebeu 1.138 ocorrências via 190. Incluindo os registros da quinta-feira (15/7), primeiro dia de operação integral na sede do 9º BPM, quando ocorreram 181 atendimentos do 190, o volume de ligações totaliza 1.319 chamados.

Chefe da Divisão de Apoio Operacional do DCCI na SSP, major Luciano Rosa reforça que o incêndio na central não levou prejuízo ao atendimento de emergências na capital, mantido com a mesma equipe que atuava na SSP. “Não temos ocorrências represadas. Estamos nos adaptando ao novo espaço, mas o atendimento ao cidadão segue normalmente”, explica.

Secretaria de Justiça e Sistemas Penal e Socioeducativo